Artigos

Cruzeiros: Temporada 2020-2021

A temporada de Cruzeiros no Brasil acontece todos os anos entre os meses de novembro e março.

Esse ano, devido a Pandemia do coronavírus, a companhia Costa anunciou ontem que cancelou sua temporada no Brasil e Argentina. Um dos fatores que contribuíram para essa decisão foi o fato de que todos os navios estão na Europa.

Para alegria dos viajantes fiéis de cruzeiros, a companhia MSC Cruzeiros deve manter sua temporada e começar em 15 de novembro com o primeiro cruzeiro a bordo do MSC Preziosa. Em sua temporada mais recente, cinco navios da MSC Cruzeiros navegaram em águas da América do Sul nos destinos do Brasil, Argentina e Uruguai. Uma vantagem da MSC é que quatro de seus navios já estão no Brasil (não regressaram à Europa): MSC Seaview, MSC Poesia, MSC Musica e MSC Sinfonia. O que permite que a empresa retome aos poucos a operação.

Todos os protocolos de saúde e segurança serão determinados em conjunto com órgãos locais. O principais pilares para garantir a segurança dos passageiros e tripulantes são:

1) Testagem para covid-19 de todos os hóspedes antes do embarque, além de outras medidas de mitigação de risco a bordo;

2) Testagem para covid-19 de todos os membros da tripulação, antes de eles assumirem o serviço a bordo, além de outras medidas de mitigação de risco em curso a bordo;

3) Realização apenas de excursões protegidas em terra, para garantir que todas as medidas de prevenção e mitigação a bordo se estendam aos hóspedes, também enquanto visitam os destinos (“bolha social estendida em terra”);

4) Ventilação a bordo que emprega as melhores estratégias de gerenciamento de ar e tecnologias relacionadas;

5) Um plano de contingência e resposta rápida, tanto a bordo quanto em terra, para casos suspeitos;

6) Navios operando com capacidade reduzida, em 70% durante a fase atual;

7) Uso obrigatório de máscaras a bordo para hóspedes e tripulantes, sempre que o distanciamento social adequado não puder ser garantido;

8) Medidas de distanciamento social em toda a experiência do hóspede, desde o check-in no terminal, nas diferentes áreas do navio e em atividades a bordo com capacidade reduzida;

9) Sistema de gestão de risco que monitora de perto a origem dos hóspedes e emprega estratégias adicionais de triagem e teste em hóspedes vindos de países e regiões definidos como de alto risco.

Similar Posts